Evangelho do Reino de Jesus Cristo

"E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim." Mt 24:14

Apocalipse 16: A Quarta Taça

Calice Lc 585 Dt

[1ª parte com as três primeiras taças]

“E o quarto anjo derramou a sua taça sobre o sol, e foi-lhe permitido que abrasasse os homens com fogo. E os homens foram abrasados com grandes calores, e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre estas pragas; e não se arrependeram para lhe darem glória.”

Apocalipse 16:8-9

O poder de nosso Deus, como vemos aqui, está sobre os elementos. O sol como astro maior em comparação com a lua, rege as estações e tem haver  com a vida natural do planeta terra. Sol e lua segundo  aproximam-se ou distanciam-se da Terra, trazem o outono,  inverno, primavera e verão , no frio ou no calor, na manifestação natural da vida, seja esta vegetal ou animal.

A vida animada existe porque o Deus Todo-Poderoso colocou, entre muitas coisas, estes astros como o sol e a lua.

“E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas. E Deus os pós na expansão dos céus para iluminar a terra, E para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas; e viu Deus que era bom. E foi a tarde e a manhã, o dia quarto. E disse Deus: Produzam as águas abundantemente répteis de alma vivente; e voem as aves sobre a face da expansão dos céus.”  

Gn 1:16-20

Depois de criar o universo e também o sol e a lua, vemos que veio a vida animal a ser criada, por que também estavam feitas as condições ambientais e todas as formas e meios pelos quais a vida animal e vegetal viessem a existir sobre toda a face da terra.

Nessa relação da criação natural com o homem, há um juízo em mistério muito profundo: Se os decretos e as sentenças de Deus não são cumpridos, o Senhor mudará os fundamentos do universo natural e espiritual.

Vejamos o que diz Jeremias:

“Assim diz o SENHOR, que dá o sol para luz do dia, e as ordenanças da lua e das estrelas para luz da noite, que agita o mar, bramando as suas ondas; o SENHOR dos Exércitos é o seu nome. Se falharem estas ordenanças de diante de mim, diz o SENHOR, deixará também a descendência de Israel de ser uma nação diante de mim para sempre. Assim disse o SENHOR: Se puderem ser medidos os céus lá em cima, e sondados os fundamentos da terra cá em baixo, também eu rejeitarei toda a descendência de Israel, por tudo quanto fizeram, diz o SENHOR.”

Jr 31:35-37

Se Israel não cumprir as leis determinadas por Deus, tanto na terra como nos céus, o Senhor mudará sua posição frente a sua lei. Sua lei será somente no Espírito. Ele rechaçará os fundamentos naturais da terra por que os homens antes rejeitaram sua lei.

A ira de Deus vem por todo homem no mundo ter rejeitado a aliança eterna escrita na lei Santa cumprida em Cristo, tanto com os judeus antes, como agora no final dos tempos com as nações onde está  a sua Igreja. Pois, hoje, o povo chamado para ser povo de Deus no Filho é todo homem sobre a face da terra, porque o Espírito Santo foi derramado sobre toda carne a partir de Pentecostes (At 2). Assim toda aliança e rejeição se dá em sua totalidade sobre toda a terra.

Como a Lei estava somente para Israel anteriormente e muitos dentre aquele povo rejeitou a lei de Deus, quebrando a aliança e sendo  desfeita por isso  a nação, assim também hoje, sendo todo homem sobre a terra chamado e, da mesma forma, rejeitando ao Senhor, será toda a terra também rejeitada, inclusive nos elementos naturais, criados para o homem.

Neste acontecimento final, Deus ajuntará todo o seu povo no Espírito; o que é natural, pelo pecado, será invalidado e deixado par atrás. O espiritual, no Espírito de Deus, quero dizer, sua Igreja, o Senhor a ajuntará.

Também vemos em Jeremias:

“E veio a palavra do SENHOR a Jeremias, dizendo: Assim diz o SENHOR: Se puderdes invalidar a minha aliança com o dia, e a minha aliança com a noite, de tal modo que não haja dia e noite a seu tempo, Também se poderá invalidar a minha aliança com Davi, meu servo, para que não tenha filho que reine no seu trono; como também com os levitas, sacerdotes, meus ministros. Como não se pode contar o exército dos céus, nem medir-se a areia do mar, assim multiplicarei a descendência de Davi, meu servo, e os levitas que ministram diante de mim.

E veio ainda a palavra do SENHOR a Jeremias, dizendo: Porventura não tens visto o que este povo está dizendo: As duas gerações, que o SENHOR escolheu, agora as rejeitou? Assim desprezam o meu povo, como se não fora mais uma nação diante deles. Assim diz o SENHOR: Se a minha aliança com o dia e com a noite não permanecer, e eu não puser as ordenanças dos céus e da terra, Também rejeitarei a descendência de Jacó, e de Davi, meu servo, para que não tome da sua descendência os que dominem sobre a descendência de Abraão, Isaque, e Jacó; porque removerei o seu cativeiro, e apiedar-me-ei deles.

(Jr 33:19-26)

 Mais uma vez aqui observamos Deus advertindo que jamais rejeitará o seu povo, a não ser que ele mude as leis espirituais dadas por Ele.

Porém, em nossos tempos, esta mudança começa a acontecer.

Neste grande conflito perante os nossos olhos, já observamos nas mudanças dos tempos naturais no globo terrestre. O super aquecimento global já é um sinal de Deus à rejeitar o mundo, porém separando seu povo para Si.

O mundo natural passará por uma sequidão, na terra e na alma. Um deserto causado pelo grande calor que temos nestes dias, reflexo da sequidão do coração dos homens.

É claro como toda a sociedade atravessa por uma mudança constante nesta nova era na terra, começando por novos regulamentos e padrões no comportamento social em uma unidade global. Uma degeneração natural e da tradição humana até então, escondida na aparência de progresso e evolução.

Novamente os efeitos causados no natural são refletidos no espiritual. Porque assim como há destruição no material, assim também há um terrível juízo de Deus no espiritual:  mudança nos elementos naturais do planeta, tiveram sua causa na degeneração da raça humana.

Castigo dos homens ímpios e o juízo final

“  Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.

(2)  E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade;

(3)  também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme.

(4)  Ora, se Deus não poupou anjos quando pecaram, antes, precipitando-os no inferno, os entregou a abismos de trevas, reservando-os para juízo;

(5)  e não poupou o mundo antigo, mas preservou a Noé, pregador da justiça, e mais sete pessoas, quando fez vir o dilúvio sobre o mundo de ímpios;

(6)  e, reduzindo a cinzas as cidades de Sodoma e Gomorra, ordenou-as à ruína completa, tendo-as posto como exemplo a quantos venham a viver impiamente”

2Pe 2:1-6

Houve, há e terá falsos profetas trazendo heresias abomináveis no meio do mundo e da igreja, no intento de introduzir deturpação na Palavra de Deus, em dissolução e mentira, com a intenção que acreditem na mentira e se desviem do verdadeiro Evangelho de Jesus Cristo.

Pela ganância, avareza e arrogância sendo estes verdadeiros mercadores dentro da igreja, usando a Palavra como meio de riqueza, satisfazendo a si mesmos em suas ambições carnais.

No entanto, estes falsos profetas já irão para condenação juntamente com filhos da perdição.

Vemos aqui em Pedro que Deus não perdoou aos anjos rebeldes, antes os lançou em prisões nos abismos, estando reservados para o lago de fogo eterno, como também na época de Noé, que diante do juízo do dilúvio, perdoou somente a Noé e sua família.

Assim também, no mundo de hoje, podemos ver claramente o que vem pela maldade da nossa geração: um juízo de fogo com em Sodoma e Gomorra, exemplo que veio também para referência do castigo final que virá no mundo de hoje.

O calor vem como sinal que aumentará e culminará no castigo fulminante e definitivo nestes tempos.

  Esses, todavia, como brutos irracionais, naturalmente feitos para presa e destruição, falando mal daquilo em que são ignorantes, na sua destruição também hão de ser destruídos,

(13)  recebendo injustiça por salário da injustiça que praticam. Considerando como prazer a sua luxúria carnal em pleno dia, quais nódoas e deformidades, eles se regalam nas suas próprias mistificações, enquanto banqueteiam junto convosco;

(14)  tendo os olhos cheios de adultério e insaciáveis no pecado, engodando almas inconstantes, tendo coração exercitado na avareza, filhos malditos”

2Pe 2:12-14

 Como sinais do que está para vir já podemos observar:

– Multiplicação dos falsos profetas, distorcendo o Evangelho dentro das Igrejas e no mundo;

– O grande calor abrasando todo planeta, sombra do que acontecerá quando todos os ímpios forem julgados junto com satanás e seus anjos;

E quanto a este sinal de fogo e calor crescente, da sua plena manifestação nos últimos dias está escrito:

“ (7) Ora, os céus que agora existem e a terra, pela mesma palavra, têm sido entesourados para fogo, estando reservados para o Dia do Juízo e destruição dos homens ímpios….

(10)  Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas.

(11)  Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade,

(12)  esperando e apressando a vinda do Dia de Deus, por causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão.” 2Pe 3:7,10-12

 Essa é, portanto, uma realidade indiscutível que está sendo revelada pela Palavra descrita pela Bíblia e testemunhada nos sinais de hoje. O juízo final virá em fogo como veio para as cidades de Sodoma e Gomorra.

A sociedade na qual hoje vivemos está cada vez mais próxima da aparência moral dessas duas cidades que foram consumidas pelo fogo para castigo dos homens ímpios.

No entanto, como aconteceu com Ló e sua família que foram resgatados, assim  também este serve de exemplo de como nós, o que estamos em Cristo Jesus, seremos arrebatados por Ele nestes dias desta grande cidade prostituída: A Babilônia atual, que está montada sobre a besta escarlate (besta referindo-se ao corpo formado neste mundo com a mente de Satanás); arrebatados  logo após da sua queda.

O Senhor livrará o seu povo, os arrependidos e remidos pelo sangue do cordeiro, deste terrível juízo que está para vir sobre a terra.

Segundo tudo o que tem sido dito, podemos observar que haverá um cambiar em tudo: no palpável e  natural, como também nos mundos celestiais; os quais serão consumidas pela vinda gloriosa do Nosso Senhor Jesus Cristo, ocasião em que seremos levados por Ele , em resgate, à Cidade Celeste, Jerusalém Eterna, para juntos com Ele reinarmos o milênio.

Como está escrito desta cidade:

“Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. (2) Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. (3) Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles.”  

Apocalipse 21:1-3

O grande calor dos tempos finais, como está escrito em Apocalipse 16:8,9, citado no princípio desta revelação do Senhor Jesus Cristo, no derramar da quarta taça – é, portanto, uma realidade palpável que é  e será vista por todos.

E da igreja neste tempos:

“Um dos anciãos tomou a palavra, dizendo: Estes, que se vestem de vestiduras brancas, quem são e donde vieram? (14) Respondi-lhe: meu Senhor, tu o sabes.

Ele, então, me disse: São estes os que vêm da grande tribulação, lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro, (15) razão por que se acham diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que se assenta no trono estenderá sobre eles o seu tabernáculo.

(16) Jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o sol, nem calor algum, (17) pois o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima.”

Apocalipse 7:13-17 

Os que saíram da grande tribulação, e estão eternamente com o Senhor Jesus, já não terão mais frio, nem fome, nem calor, porque saíram do meio das intempéries do mundo, onde o grande calor do sol, o aquecimento do globo no mundo inteiro, causou extremos nas condições ambientais do planeta, quando então faltará todo tipo de recurso, deixando assim a todos no mundo à uma desolação causada pelo calor.

Anúncios

Sobre Juan S. Gonzalez Jimenez

Um comentário em “Apocalipse 16: A Quarta Taça

  1. richard
    19 de março de 2014

    As vezes a sensação de injustiça me aflige. Mas essa revelação me fez refletir. Deus é sempre justo e sua justiça sempre será aplicada ao tempo certo. Cresço em fé, refletindo sobre as coisas futuras.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Mensajes en Castellano:

Junte-se a 1.783 outros seguidores

google-site-verification: googled8bd3413ab582730.html

  • 134,014 Visitas

Nossas Páginas

%d blogueiros gostam disto: